são paulo delirante

série sobre a vida na metrópole e o efeito que ela gera no psíquico individual, afetando medos, desejos e anseios de cada um.

o mundo ainda gira
a estrela mais brilhante
sem tempo pra descansar
mais rápido que uma bala de canhão
tempo é uma ilusão
dia 17
dia 16
dia 2
sem tempo
sem arrependimentos
o lugar de onde nunca deveríamos ter saí
nada é o que parece ser
muitos anos antes de mim
onde tudo começou
vertigem hipnótica
meio mundo de distância II
por quanto tempo?
meio mundo de distância
dois passos pra trás
longe dos olhos tristes
logo antes do céu escurecer
mar de flores envenenadas
sinais e bandeiras vermelhas
no final da estrada
deve existir algo melhor
nada foi tão bom II
mais uma chance
melancolia
nada foi tão bom
imensamente admirável
um pra sempre
lutando contra o vento
o som e a fúria
quero uma noite mais longa
quatro mil anos atrás
pensando demais
coisas da vida
alguém vai estar lá
movendo até o fim do tempo
conectado ao céu
os sinais não estão claros
por um fio
pequeno ponto preto
medos frustrados
atravessando o farol vermelho
batendo como um martelo
perdendo a cabeça
as estrelas vão explodir esta noite
vertigem
viva aqueles sonhos
curto-circuito